Provocação

O Rio Grande PHOTOFLUXO 2012 tem como objetivo provocar nos artistas do Rio Grande e do sul do Brasil  o desejo de produzir imagens que tratem e discutam esses fluxos e nomadismos do mundo contemporâneo – e  do nosso cotidiano. Buscando o que nos é próximo.

A arte, a cidade, os corpos, as identidades estão imersas nessa condição. Como?

O lugar onde esse festival acontece é a praia do Cassino em Rio Grande. Sul do Brasil, quase-fronteira Uruguay. Uma cidade portuária, onde desde o século XIX transitam as mais diversas pessoas, culturas, modos de viver, habitar e ver o mundo.

Diz a lenda que é a maior praia do mundo. De fato, um lugar plano, território liso onde o horizonte se achata, onde tudo se aproxima. Onde as distâncias se relativizam e onde perdemos a noção de perspectiva: deserto de areia na longa praia em que os olhos não alcançam o fim. Paisagem solitária, porém desafiadora. Onde não é possível parar, estacionar, acomodar-se. Aqui, o vento nos leva, a força descomunal da natureza nos invade, nos provoca.

Porque estar aqui?

Como ir de um lugar a outro?

Que forças são essas que se apresentam nas dobras e dunas?

Quem enfrenta sua força, sua impermanência?

Que corpo é esse que nos é invocado a resistir?

Quem é capaz de plantar nesse solo arenoso?

Quem tem a coragem de andar contra o vento? Existem muitos (ou alguns?) que vivem ou viveram aqui: nômades, andarilhos, artistas ou pessoas comuns. Sujeitos de sua existência. Basta procurarmos. Basta abrirmos os olhos, levantarmos as pálpebras, mexermos as pestanas…

 3º Festival Fotográfico de Inverno convoca artistas e fotógrafos a pensarem neste estado de trânsito (e de impermanência): corpos – imagens que estão em fluxo, em transformação – forjando, construindo e desconstruindo identidades, mudando comportamentos e atitudes. Criando afectos.

Marcelo Gobatto, artista e curador do festival

Anúncios